O que não faltam são dúvidas quando descobrimos que estamos grávidas de gêmeos e também ao longo de todas as fases do desenvolvimento infantil dos bebês.

Pensando em tantas dúvidas sobre gêmeos que surgem todas as semanas nas redes sociais e nos encontros da Me Two, reunimos as FAQ (“frequently asked questions”, questões frequentemente perguntadas) das famílias gemelares e de múltiplos.

Envie a sua dúvida nos comentários ou pelo e-mail fale@metwo.com.br que chamaremos um especialista da área para respondê-la por aqui!

PRÉ-GRAVIDEZ E GRAVIDEZ GEMELAR

Se tenho caso de gêmeos na família, vou ter gêmeos também?

Não há dúvidas de que a genética tem um papel importante no nascimento de gêmeos. O pesquisador Augusto Cardoso dos Santos explica que a genética é, sim, um fator a ser levado em conta quando falamos de casos de gêmeos naturais na família (principalmente entre parentes próximos). Isso aumenta a chance de uma mulher ter filhos gêmeos. Mas ainda é muito difícil precisar com exatidão uma chance exata. As pesquisas de DNA hoje em dia estudam esta agregação familiar de nascimentos gemelares (isto é, quando há vários casos de gêmeos numa mesma família).
@@ Leia mais em: Ter gêmeos é hereditário?

Qual é a diferença entre gêmeos univitelinos e bivitelinos?

Existem dois tipos de gestação gemelar baseada na origem delas, porém muitas nomenclaturas. O dr. Gustavo Steibel, ginecologista obstetra, especialista em medicina fetal, faz a diferenciação:
UNIVITELINOS (monozigóticos ou não-fraternos) – são os gêmeos idênticos. Sua formação inicia como na gestação única, com apenas um óvulo e um espermatozóide. Porém, em seguida, o ovo se divide, resultando dois novos óvulos geneticamente idênticos. Pode, ainda, se dividir mais de uma vez, originando três ou quatro ovos (trigêmeos ou quadrigêmeos idênticos, sendo esses, raríssimos). Se esse óvulo se dividir muito cedo os gêmeos serão dicoriônicos (duas placentas) e diaminióticos (dois sacos gestacionais) , ou seja, é possível que gêmeos univitelinos estejam em placentas separadas.
BIVITELINOS (dizigóticos ou fraternos) – são considerados bivitelinos os gêmeos que são formados pela fecundação de dois ou mais óvulos por dois ou mais espermatozóides. Estes gêmeos são sempre geneticamente diferentes e cada um deles terá sua placenta e membrana. Equivale a duas gestações que se desenvolvem ao mesmo tempo e no mesmo ambiente.

@@ Veja mais neste vídeo: diferença entre gêmeos univitelinos e bivitelinos

Grávidas de gêmeos precisam comer em dobro ou triplo?

Não! De jeito nenhum. Nenhuma grávida precisa comer em dobro. A nutricionista Julia Melnick explica que o que precisamos fazer é garantir que o suporte calórico seja suficiente para todos os bebês. A melhor maneira será acompanhando os exames e garantir que a mãe se alimente com todos os grupos de nutrientes, não apenas de calorias vazias. A final, a meta é nutrir e não apenas engordar. Em média temos um aumento gradual de até 500 calorias. O mais importante sempre será o repouso após comer as grandes refeições. A partir de 24 semanas é interessante que a gestante coma e se deite por cerca de 40 minutos ou pelo menos sempre que puder. Assim conseguimos aumentar a absorção de nutrientes dos bebês.

Quantos quilos vou engordar durante a gravidez de gêmeos ou múltiplos?

A nutricionista Julia Melnick explica que, se a mulher engravidou com peso saudável de acordo com o IMC (Índice de Massa Corporal), ela deve ganhar de 18k a 24 kg no total, durante a gestação. A meta deve ser nutrir a mãe e os bebês, aumentando o peso da gestação sem que o crescimento da gordura no corpo ultrapasse 1kg ou 2 kg a mais no total. O peso da gestação será o peso dos bebês somados ao aumento das mamas, do útero e do volume sanguíneo no corpo da mãe (que cresce 60%).

@@ Leia mais sobre o assunto em Gestação Gemelar e Nutrição

Todos os gêmeos nascem prematuros?

É muito comum bebês gêmeos nascerem pré-termo: cerca de 30% das mulheres grávida de gêmeos entram em trabalho de parto prematuro. O obstetra Wagner Hernandez, médico referência em gestação gemelar, explica que toda gravidez de gêmeos é considerada de maior risco. A idade gestacional média para gestação gemelar é de 36 semanas. Embasado pela literatura médica, esse tempo costuma ficar em torno de até 32 semanas, no máximo 34, em casos de uma placenta e uma bolsa (gestação monocoriônica e monoamniótica). Já quando se trata de uma placenta e duas bolsas (monocoriônica e diamniótica, a gestação costuma chegar até 36 semanas em média, indo no máximo até 37. Já em casos com duas placentas e duas bolsas (dicoriônicas e diamnióticas, que são as mais comuns, a gestação acaba chegando até 38 ou 39 semanas.

@@ Leia mais em: Relação entre gravidez gemelar e prematuridade

Parto de gêmeos sempre é cesariana ou pode ser parto normal?

Primeiramente é preciso respeitar o desejo da gestante e do casal. O obstetra Wagner Hernandez, responde que, para se ter um parto normal de gêmeos, é fundamental ter o primeiro bebê com a cabeça voltada para baixo, ou seja, na posição cefálica. É importante, também, que o segundo bebê não seja muito maior do que o primeiro, independente da posição em que esteja. Também é preciso levar em conta a experiência do obstetra para que isto ocorra. E o hospital escolhido deve ter uma retaguarda boa para gêmeos, independentemente do tipo de parto. No caso de paciente com cesariana anterior, irá depender de cada caso, mas não é um fator de exclusão.

@@ Saiba mais sobre o tema em: 5 perguntas que um obstetra mais ouve na gravidez de gêmeos

Envie a sua dúvida nos comentários ou pelo e-mail fale@metwo.com.br que chamaremos um especialista da área para respondê-la por aqui!

Foto: @cleisi.anaa
Foto: @cleisi.anaa

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE:
@@ Amamentação exclusiva de gêmeos e múltiplos é possível!
@@ Vídeo: como cuidar dos bebês nos primeiros dias em casa?
@@ Tudo o que você precisa saber sobre o sono dos gêmeos