Entrevista! Marcelo Serrado sobre ser pai de gêmeos: “É uma irmandade que extrapola o comum”

Dia Nacional do Livro: conheça a obra GÊMEOS, da fotógrafa Dadá Cardoso
29 de outubro de 2019
gêmeas prematuras
Relato de Mãe de Gêmeas: “Tive parto prematuro por pré eclâmpsia”
4 de novembro de 2019

Pai dos gêmeos Felipe e Guilherme, de 6 anos, o ator Marcelo Serrado se surpreende a cada dia com seus filhos.

Para a Me Two, ele nos contou como é ser pai de gêmeos e presenciar a interação da dupla.

O ator, que é também músico, está dando show este mês como participante do reality show PopStar, aos domingos na Globo. Ontem (dia 3), o ator abriu o programa cantando o clássico Garçom, de Reginaldo Rossi. A apresentação arrancou elogios de Diogo Nogueira, um dos especialistas convidados da noite.

Neste ano, Serrado esteve no ar também com a novela O Sétimo Guardião, na Rede Globo, e na série Jugar con Fuego, na NBC Telemund, exibida nos Estados Unidos. Com uma carreira de sucesso, é ainda mais desafiador conciliar o tempo entre a família e o trabalho. Para o ator, o desafio de cuidar de gêmeos também entra nessa conta. Felipe e Guilherme têm 6 anos de idade e nasceram do casamento de Marcelo com a bailarina Roberta Fernandes. Ele também é pai de uma menina, a Catarina de 14 anos, fruto da relação com a atriz Rafaela Mandelli.

Serrado conversou com a Me Two sobre a relação entre os irmãos, a surpresa ao ser pai de gêmeos e as maravilhas da paternidade.

Como foi a surpresa de saber que seria pai de gêmeos? Havia outros casos de gêmeos na tua família ou por parte da Roberta?
Nunca tivemos casos de gêmeos na família, foi uma coincidência, um acaso. Quando estávamos vendo o útero e o médico disse que tinha mais de um, eu quase caí para trás. Mas foi uma surpresa agradável, óbvio!

O que há de mais desafiador em criar gêmeos?
Acho que, no começo, criar gêmeos é saber que cada um é um indivíduo diferente, apesar das semelhanças físicas. Você tem que entender como cada um é, são temperamentos completamente opostos. É necessário respeitar a individualidade de cada um.

 

E o que há de mais bacana em ser pai de gêmeos?
O mais bacana é saber que tem uma união ali que nós nunca vamos entender, existe algo nessa relação que só eles sabem. É uma irmandade que extrapola o comum, vai para um outro lugar.

Quando eles nasceram, você teve algum receio de confundir os bebês ou sempre soube reconhecer? 
No início, eu confundia os bebês, sim. É normal. E minha esposa ainda colocava a roupas iguais nos dois, tipo par de vasos, só para me quebrar (risos).

Como é Marcelo como pai?
Eu sou bastante presente. Levo eles para a escola toda segunda-feira e toda sexta-feira de manhã, busco na escola nos dias que posso, tomo banho com eles, às vezes coloco para dormir. Sou bem presente dentro do possível da minha agenda. Eu sempre tento estar perto e impor limites.

Como é a rotina de vocês em casa e deles na escola?
Eles estão em turmas separadas porque esse é um pedido da escola, eu acho isso bom. Eu levo para a escola, como falei, segunda e sexta. Minha esposa leva nos outros dias. Nós temos motorista também, então revezamos dentro da agenda de cada um.

O que mais te fascina na condição de gêmeos dos teus filhos? O que você já observou de mais legal eles fazendo juntos como irmãos?
Eu acho que ver um defendendo o outro, ver eles dormindo na mesma posição. Eles sentem muita saudade quando um vai dormir na casa de amigos. São muito ligados, é uma coisa muito bonita de se ver.

 

Ver essa foto no Instagram

 

minhas crianças 💙

Uma publicação compartilhada por poesiaserrado (@poesiaserrado) em

Felipe e Guilherme são muito parecidos ou são bem diferentes? 
O Felipe é um artista. Ele sempre está com uma resposta pronta, sempre questionando. Às vezes eu peço para dar um beijo nele e ele dá a cabeça, não gosta muito de abraçar. Ao mesmo tempo ele é muito carinhoso, mas é mais na dele. O Guilherme é um ser iluminado. Ele é um garoto que chegou no mundo para levar bondade para os outros. Ele é muito bondoso. O Felipe é o líder da turma, aquele que joga bola, e o Guilherme é um garoto bom, aquele que chega diz que está com saudade, abraça, diz que ama. Ele é apegado ao bichinho de estimação dele, um bichinho de pelúcia que ele usa, dorme com ele. Uma vez deixei ele na casa de um amigo, eu tinha três biscoitinhos e ele pediu para ficar com eles para lembrar de mim. Ele sempre liga para o avô e pergunta se está tudo bem. Ele é um ser iluminado, de outro mundo.

Como é a relação deles com a irmã mais velha? E a dela com os irmãos mais novos?
A relação deles com a irmã mais velha é incrível! Ela ama eles, sente muita saudade porque mora em outra cidade. Eles amam ela. Têm uma relação muito bonita apesar da diferença de idade, ela tem 14 e eles 6. Conversam com frequência no celular, no FaceTime,. Quando estão juntos é um absurdo! Eles querem dormir junto com ela, ela quer ficar com eles. São muito colados. Como não moram juntos, quando estão perto não se desgrudam.

Você já chama a atenção quando sai nas ruas por ser famoso – e quem tem filhos gêmeos também sempre chama a atenção, é algo que gera muita curiosidade! Tipo quando tem o carrinho duplo ou quando eles estão vestidos iguais… Como são estes momentos da família em lugares públicos?
Eles já chamam atenção por eles mesmo, porque são muito bonitinhos. É normal. Lidamos com isso da melhor maneira possível.

Leia também aqui na Me Two:
@@ As angústias mais comuns dos pais de gêmeos

@@ Luana Piovani conta qual é a melhor parte de ser mãe de gêmeos
@@ Entrevista! A sintonia das gêmeas Bia e Branca vai muito além da piscina
@@ Os famosos e famosas que são pais de gêmeos e múltiplos

Camila Saccomori
Camila Saccomori
Jornalista de Porto Alegre e mãe da Pietra, nascida em 2011. Desde a gravidez, passou a produzir conteúdos femininos e voltados a famílias em vídeo, foto e texto. Trabalhou por 20 anos no Grupo RBS e hoje faz conteúdos para a Me Two e projetos de maternidade pelo seu novo "filho", o canal @VamosCriar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *