A história é tão inacreditável que parece de cinema (e no ano passado virou filme). Trigêmeos separados no nascimento em Nova York se conheceram apenas aos 19 anos por uma coincidência.

O motivo da separação do trio de irmãos, que foram adotados por famílias diferentes, é surpreendente: eles na verdade faziam parte de um experimento de pesquisa. ⠀

No filme “Three Identical Strangers” (2018), que pode ser assistido no YouTube ou Google Play por R$ 11,90, é narrada a história dos irmãos Robert Shafran, Eddy Galland e David Kellman, nascidos em 1961. O reencontro deles ocorreu nos anos 80 quando Robert entrou na faculdade e muitos universitários o chamavam de Eddy, como se o conhecessem há mais tempo. As pessoas o cumprimentavam dizendo que era bom tê-lo de volta ao campus.

Um dia, finalmente, um amigo em comum promoveu o encontro de Robert e Eddy. Eram realmente idênticos! Ficaram muito surpresos e começaram a conversar. Descobriram muitas semelhanças além da data de nascimento: eles até riam do mesmo jeito e tinham uma marca de nascença semelhante, além da mesma pontuação no teste de Q.I. Decidiram fazer um teste de DNA para ter certeza de que eram gêmeos.

A história do reencontro dos dois ganhou a mídia. E quando foi publicada no jornal, surgiu um novo fato: uma das pessoas que leu a reportagem foi David Kellman, que também era… idêntico aos irmãos! David procurou Robert e Eddy e também fez o teste de DNA. Assim, os trigêmeos estavam reunidos após 19 anos de separação desde o nascimento. Tinham muito mais coisas em comum do que imaginavam: gostavam de comida italiana, fumavam a mesma marca de cigarros e preferiam namorar mulheres mais velhas.

Os trigêmeos ganharam fama nos EUA e até abriram um negócio juntos. Mas então começaram a tentar pesquisar suas origens para entender quem seria sua família biológica. Foram atrás da agência de adoção que havia intermediado o processo com as três famílias. E foi aí que começaram a saber da chocante história do seu passado. A primeira descoberta é de que na verdade eles eram quadrigêmeos, mas um bebê não sobreviveu ao parto.

A agência de adoção Louise Wise Services era a mais famosa de NY naquela época. Os seis pais adotivos dos trigêmeos foram lá pedir explicações, pois ninguém sabia que os bebês adotados tinham irmãos. Um fato em comum era que a agência havia informado que as crianças seriam visitadas periodicamente para acompanhamento da adoção, mas na verdade o motivo real era outro. Eles estavam sendo pesquisados justamente sobre desenvolvimento comportamental.

A verdade foi descoberta pelo jornalista Lawrence Wright, da New Yorker, que estava reunindo material para escrever um livro sobre gêmeos. Ele encontrou os indícios de que os trigêmeos Robert, Eddy e David estavam sendo parte de um estudo psicológico sobre o assunto “genética ou ambiente”. Isto é,  o objetivo do caso era concluir se o ambiente ou a biologia determina o comportamento e o desenvolvimento de uma pessoa.

Os três irmãos foram colocados em famílias com três situações socioeconômicas bem distintas: Robert foi criado por uma família com muitos recursos financeiros, Eddy em um lar de classe média e David por uma família de menos posses.

A agência de adoção havia ainda separado cinco outras duplas de gêmeos na mesma época para serem parte deste chocante estudo. Quem promoveu este experimento imoral foi o psiquiatra infantil e psicanalista Dr. Peter Neubauer, diretor do então Centro de Desenvolvimento Infantil, em Manhattan. O pesquisador jamais foi condenado a nada e morreu em 2008, tendo deixado os arquivos desta pesquisa selados como confidenciais e com acesso liberado apenas a partir de 2065 nos documentos restritos na universidade de Yale.

Robert e David nos dias de hoje (Eddy sofria de depressão e cometeu suicídio)

O que se sabe é que os três irmãos quando criança sempre apresentavam sinais de ansiedade de separação. Os pais não suspeitavam o motivo deste sentimento.

Um dos irmãos, Eddy, lutou contra a depressão a vida toda e cometeu suicídio aos 33 anos, em 1995. David e Robert acreditavam que estar separados por quase 20 anos agravou a doença do irmão.

Recentemente, eles aceitaram o insistente convite do diretor britânico de cinema Tim Wardle a contar no cinema os detalhes dessa história. Assim nasceu o documentário “Three Identical Strangers”, lançado em 2018.

Leia também aqui na Me Two
@@ Nancy Segal: mitos e fatos sobre gêmeos comentados pela maior pesquisadora do assunto
@@ Perguntas e respostas sobre gêmeos, genética e hereditariedade