Quando o trabalho liberta.

O fim da licença maternidade  pode ser um momento de crise para muitas mães, sobretudo quando se tem gêmeos em casa. Mas não tem que ser assim com a vida profissional.  Mãe do Bento e do Thomas, Júlia Sutoff revela sua experiência sem culpas e conta como a maternidade contribui com sua carreira.

Por Tatiana Lemos

Júlia com o Bento e o Thomas.

Poucas mães têm coragem de admitir isso, mas muitas delas já sentiram aquela vontade de correr para o trabalho durante os primeiros meses em casa, cuidando exclusivamente dos bebês. Se para algumas o fim da licença maternidade pode gerar ansiedade, medos e dúvidas, para outras, retomar a carreira é uma necessidade.

Representante de uma empresa multinacional, a Júlia Sutoff (33 anos) teve seis meses de licença maternidade e ainda emendou um mês de férias, quando teve os gêmeos Bento e Thomas, hoje com dois anos e meio.

No total, foram sete meses em casa. E foi demais – bem humorada e super sincera, ela não tem problemas em admitir isso. Eu sou muito dinâmica. Amo meus filhos, mas eu não me vejo em casa 24 horas por dia com eles, eu não consigo. Então, para mim foi muito libertador”.

Júlia ouviu de outras mães que se arrependeria depois que retornasse ao trabalho. Mas com ela não foi assim. “Pelo contrário, eu gostei de voltar a trabalhar e acho que fiquei mais plena, tanto de cansada como no total”, brinca.

Segura de sua decisão, e com os filhos bem amparados em casa, ela teve que lidar com outros desafios.  A jornada de trabalho, que já era intensa, se somou ao ritmo acelerado da vida de mãe de gêmeos. E, ainda, sentiu a pressão de não ser vista da mesma forma no seu retorno. Júlia conta que alguns colegas não acreditavam que ela pudesse fazer o mesmo trabalho sendo mãe de dois bebês.  Isso a incomodava no início e foi preciso trabalhar a sua autoconfiança.

Para que ela pudesse se dedicar à profissão e os filhos, a liberdade de horários e a flexibilidade que a empresa oferece foram fundamentais. Mas, reconhece, nem todas as mulheres têm isso, o que dificulta muito. “O mercado de trabalho está muito preparado para a mulher trabalhar. Mas não para a mãe mulher voltar a trabalhar”, reflete.

MAIS CRIATIVA

Embora alguns duvidassem, ela voltou com tudo. E aos poucos foi mostrando que a maternidade, especialmente com gêmeos, pode contribuir com a carreira. Mãe aprende a administrar tempo e gerenciar atividades diversas com muita eficiência. Quem tem filhos sabe, também, que paciência é algo que se aprende rapidamente. Mas, no caso de Júlia, a criatividade trazida pela convivência com os gêmeos foi o grande diferencial.

Uma ação idealizada por ela, associando o Hulk a um dos produtos da marca, se tornou um grande sucesso na região em que ela atua e ganhou reconhecimento até do vice-presidente da companhia. A inspiração com o personagem veio das brincadeiras com os filhos.Aprendi a ser mais criativa. Com as crianças em casa, a gente fica criando o tempo todo. Então, eu passei isso pro meu trabalho, conta.

E para dar conta de tudo, Júlia conta com aquela capacidade de superação que surge quando se vira mãe e que, segundo ela, “é maior do que a gente pode imaginar”. Multiplicam os filhos e o cansaço, cresce também a força e o amor.

Assista ao depoimento da Júlia e se inspire com essa mãe de gêmeos dinâmica e bem humorada que adora trabalhar.

Não deixe de participar da pesquisa comportamental sobre gêmeos!