AMAMENTAR GÊMEOS É POSSÍVEL? POR MICHELE FERREIRA, ENFERMEIRA NEONATAL

DIA DO DESAFIO – A ME TWO CONVIDA AS MAMÃES DE GÊMEOS A PARTICIPAR!
29 de maio de 2018
RELATO: AMAMENTAR GÊMEOS – PELA MÃE GRAZIELA TIZONI CESCON
1 de junho de 2018

Michele  Ferreira conversou com  a Me Two sobre os cuidados com recém nascidos, e traz dicas e informações valiosas sobre o processo de amamentar gêmeos.

 

Michele Ferreira

A especialista desta semana é uma profissional com 17 anos no mercado, a enfermeira neonatal Michele Ferreira, Mestranda em Avaliação, Produção e Inovação de Tecnologias para o SUS, que além de trabalhar como consultora em amamentação e cuidados materno-infantil,  é idealizadora do site   Sling Aconchego  , no qual aborda “questões sobre este tema.

Para as mamães que se perguntam: Será possível amamentar gêmeos? A resposta é sim!

Segundo Michele, temos muitas histórias de sucesso no aleitamento materno exclusivo de gêmeos.

 

 

Confira abaixo suas dicas:

” Algumas informações são importantes para que as mães possam amamentar tranquilamente seus filhos, e uma delas é a produção hormonal que está envolvida neste processo.

Costumo falar que o leite materno é produzido no peito e na “mente” da mulher, ou seja, a sua disponibilidade emocional e física para se dedicar em tempo integral nas primeiras semanas de vida aos bebês é fundamental para a produção de dois hormônios chamados prolactina e ocitocina. A prolactina está relacionada ao consumo, ou seja, quanto mais o bebê suga, mais leite será produzido. Dessa forma, a mulher que tem mais de um bebê produzirá conforme a necessidade de seus bebês, inclusive com os nutrientes necessários.

A ocitocina é o hormônio envolvido na conexão e vínculo e responsável pela saída do leite no seio. Sua produção está diretamente ligada a questões emocionais.

Da mesma forma, é muito importante estar segura e ter o apoio do companheiro e da família para amamentar, e ter em mente que as rotinas de cuidados diários com os bebês se tornam mais leves quando compartilhadas.

Para isso, é fundamental que a mulher, junto com seu companheiro e familiares próximos, se preparem com informações sobre os cuidados e amamentação desde o Pré-Natal, e que principalmente durante os primeiros meses de vida dos bebês alguma pessoa bem próxima esteja disponível para cuidar da mãe, de sua alimentação e dos cuidados da casa, para que ela tenha disposição para os cuidados aos bebês.

Algumas pesquisas mostram que o vínculo mais próximo e precoce entre mãe e os bebês, associada à amamentação, aumenta a produção de ocitocina. Com isso a mãe consegue se sentir mais segura para identificar as necessidades dos bebês, e eles choram menos, são mais alertas e interagem mais com a mãe e o pai.

Outra dica importante ao amamentar é alternar os seios para cada bebê nas mamadas,  tendo em vista as diferenças de produção láctea entre as mamas e também dos mamilos.

Esta prática também é importante para que o bebê alterne o posicionamento de mamar. Em caso de trigêmeos ou mais, é necessário realizar um rodízio onde cada bebê tenha oportunidade de sugar e de aproveitar o leite materno em diferentes momentos.

Ter um registro dos horários, duração das mamadas e qual seio cada bebê mamou, para que não ocorra confusão no primeiro mês de vida dos bebês também é extremamente importante.

Em caso de dificuldade para amamentar ambos ao mesmo tempo (ou trigêmeos), recomenda-se que retire o seu leite e ofereça em um copinho para o bebê que não estiver sendo amamentado naquele momento.

Em caso de gêmeos que necessitam de internação Neonatal e não podem ser amamentados logo após o nascimento, é importante que a mãe retire o leite a cada três horas para manter a produção de leite para o momento em que possa alimentar seus filhos.

Em geral, quando a mulher é bem orientada, apoiada e se sente segura, o complemento com fórmulas lácteas não é necessário. Os bebês mamam de 8 a 12 vezes por dia, e conforme vão crescendo, as mamadas duram menos tempo e os intervalos entre elas se tornam maiores. ”

 

Michele Ferreira é enfermeira pós-graduada em Neonatologia. Contato pelo e-mail: aconchegoblog@gmail.com

Instagram: @enfmicheleferreira

 

Quer saber mais sobre amamentação? Clique aqui e confira o vídeo da nutricionista Julia Melnick.

 

 

 

 

 

 

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *