#NovembroRoxo: o que toda mãe de gêmeos precisa saber sobre prematuridade

E quando a família prefere um dos gêmeos?
Como lidar quando familiares preferem um dos gêmeos?
27 de outubro de 2020
Foto: @priscilacassol
Nancy Segal: mitos e fatos sobre gêmeos comentados pela maior pesquisadora do assunto
3 de novembro de 2020
premaruro gemeos recem nascido bebe pexels

#NovembroRoxo divulga informações sobre prematuridade - Foto: Pexels

Gêmeos e múltiplos costumam nascer antes do tempo: essa é uma notícia que as mães recebem desde os primeiros momentos da gravidez. A prematuridade, porém, não é igual em todos os casos.

Neste mês de novembro, o assunto ganha mais visibilidade para sensibilizar as famílias e ampliar o acesso às informações.

Você sabia, por exemplo, que a prematuridade é considerada a principal causa de mortalidade infantil no Brasil? No mundo todo, um em cada dez bebês nasce prematuro. Todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças nascem antes do tempo (os dados são de 2012).

Para marcar a chegada do #NovembroRoxo, conversamos sobre o assunto com a fundadora e presidente da Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros – ONG Prematuridade –, Denise Suguitani. Ela é mãe da Dora, de 12 anos, e do Theo, de 10, nutricionista de formação e apaixonada pela causa desde que trabalhava em hospital na área da maternidade e UTI neonatal. Lá, percebeu o quão crítico é este momento para as famílias, que não tinham onde buscar informações. O portal Prematuridade.com nasceu assim e, em 2014, virou ONG para atuar a favor da causa em termos de políticas públicas.

– Vi o quanto os pais caíam de paraquedas no assunto quando o bebê nascia antes do tempo. E quanto mais eu mergulhava no assunto, ficava abismada com a situação. O Brasil é o 10º no ranking de países com maior índice de prematuridade – contou, em entrevista à Me Two para criarmos esta reportagem.

Denise dedica a maior parte do seu tempo à ONG atualmente e conta com ajuda de voluntários em todo o país. Aqui, com dados do Prematuridade.com, listamos os principais tópicos sobre o tema para você que será mãe de gêmeos.

Foto de Jennifer Inda das “pintinhas” da mãe de gêmeas Tati Luz

Todo bebê de gravidez gemelar nascerá prematuro?

Toda futura mãe que recebe a notícia de estar grávida de gêmeos ou múltiplos é informada por seu médico sobre a possibilidade de os bebês nascerem antes das 40 semanas. É sempre considerada uma gestação de maior risco. Embora algumas gestações de gêmeos consigam chegar até as 40 semanas regulamentares, os médicos costumam ficar satisfeitos se os bebês conseguirem ficar dentro do útero até as 37 semanas. Antes disso, os bebês são, sim, considerados prematuros. Crianças que nascem com menos de 28 semanas (abaixo de um quilo) são consideradas prematuras extremas. Mas é a idade gestacional, e não o peso da criança, que serão os principais fatores para incluí-las nessas categorias.

Quando um bebê é considerado prematuro?

Prematuro (ou pretermo) é o bebê que nasce com menos de 37 semanas e 0 dias. Abaixo de 37 semanas, temos ainda esta classificação:
* Prematuro tardio, entre 34 semanas e 0 dias e 36 semanas e 6 dias
* Prematuro moderado (ou moderadamente prematuro), 32 semanas e 0 dias a 33 semanas e 6 dias
* Muito prematuro: 28 semanas e 0 dias a 31 semanas e 6 dias
* Prematuro extremo, menor que 28 semanas e 0 dias

Nascer prematuro significa sempre ter sequelas?

Esta resposta vai depender da idade gestacional ao nascer e das intercorrências durante o período de internação. A boa notícia é que a área neonatal passa por grandes avanços e os recursos da medicina melhoram cada vez mais. As sequelas mais comuns costumam ser atraso psicomotor, problemas na visão (chamada de retinopatia da prematuridade) e problemas no aparelho respiratório. Lembrando, novamente, que cada caso é único e não é possível generalizar.

As chances de sobrevivência aumentaram significativamente nas últimas décadas, informa ao Prematuridade a presidente do departamento de neonatologia da Sociedade Paranaense de Pediatria, Gislayne Souza Nieto: “Até pouco tempo, só sobreviviam os maiores de 1, 5 kg ao nascer. Hoje, espera-se o mesmo de bebês com 500 g”, explica a pediatra neonatologista do Hospital Pequeno Príncipe (PR). Segundo ela, um dos avanços da medicina que permitiu tal conquista foi o uso do surfactante exógeno, substância que favorece o amadurecimento dos pulmões do bebê, assim como o o desenvolvimento da ventilação mecânica na UTI neonatal também reduziu as taxas de mortalidade.

Quais são as sequelas mais comuns em bebês prematuros?

Muitos prematuros nascem e seguem a vida sem sequelas! Nem sempre a prematuridade deixa algum sinal temporário ou irreversível. Mas, em casos de prematuridade extrema, sempre é preciso observar o crescimento e o desenvolvimento da criança. Em alguns casos, há maior risco para problemas de aprendizagem e comportamentais, risco de paralisia cerebral, deficiências sensoriais e motoras, infecções respiratórias crônicas e doenças cardiovasculares ou diabetes, em comparação com bebês nascidos a termo.

– Alertamos que poderão ser crianças que vão se tornar adultos com necessidades especiais  afirma Denise.  Às vezes vai se manifestar em um atraso motor, um déficit cognitivo… Mas ainda faltam estudos mais profundos e a longo prazo que acompanhem casos extremos, como estudos que acompanham se a prematuridade é também um fator de risco para hiperatividade ou espectro autista, por exemplo – reflete. 

É comum terem de ficar na UTI neonatal após o parto?

Nem sempre os bebês necessitam da terapia intensiva, principalmente se já completaram 34 semanas. Ao portal Prematuridade.com, o médico Mário Martinez, coordenador da equipe de ginecologia e obstetrícia do Hospital e Maternidade São Luiz (SP), esclarece: “Geralmente, essa é uma indicação para melhorar a adaptação respiratória, para quando o recém-nascido apresenta algum desconforto ou se é um prematuro com menos de dois quilos”.

## Leia o relato de uma mãe da Confraria de Gêmeos Me Two, Tanani Murari, cujos bebês ficaram 28 dias na UTI neonatal

Até quantas semanas minha gestação gemelar deve ir, em média?

Depende do tipo de gravidez gemelar. Com base na literatura médica e pesquisas, Dr. Wagner Hernandez responde à Me Two em matéria especial sobre o assunto: “Todas as mulheres grávidas de gêmeos perguntam qual a idade gestacional máxima que deverá ocorrer de acordo com o número de placentas e sacos. Embasado pela literatura médica, esse tempo costuma ficar em torno de até 32 semanas, no máximo 34, em casos de uma placenta e uma bolsa (gestação monocoriônica e monoamniótica). Já quando se trata de uma placenta e duas bolsas (monocoriônica e diamniótica, a gestação costuma chegar até 36 semanas em média, indo no máximo até 37. Já em casos com duas placentas e duas bolsas (dicoriônicas e diamnióticas, que são as mais comuns, a gestação acaba chegando até 38 ou 39 semanas.”

Veja abaixo os tipos de gravidez gemelar:

Que tipo de complicações na gravidez podem levar ao parto prematuro?

Um bom pré-natal é o principal cuidado em qualquer tipo de gestação, e em gravidez de gêmeos são cuidados em dobro! Mãe de gêmeos precisa fazer mais ultrassons, exames de sangue e de urina. A partir de 28 semanas, entra em cena também a dopplerfluxometria, ultrassom que acompanha o fluxo sanguíneo dos bebês e certifica se o crescimento está adequado. Em geral, a preocupação gira em torno da prematuridade, do diabetes e da pressão alta, complicações que podem ocorrer mais a partir do segundo semestre, quando algumas alterações naturais do organismo podem abrir as portas para problemas como diabetes gestacional e pré-eclâmpsia, a hipertensão arterial específica da gravidez.

## Para a Me Two, dr. Wagner Hernandez gravou um vídeo explicando os fatores que podem levar ao parto prematuro de gêmeos. Ele destaca que é preciso levar em conta a distensão do útero relacionada a quantidade de bebês que estão sendo gestados. Confira abaixo:

Como o “método canguru” é adaptado para gêmeos prematuros?

Cada dia a mais que o bebê fica no “forninho”, na barriga da mãe, é uma vitória, é uma reserva a mais que fez de gordura, de nutrientes, em que o corpinho todo foi se desenvolvendo. Mas, quando nascem antes do tempo, os recursos da UTI neonatal é que dão conta da maturação dos órgãos e do desenvolvimento destes pequenos seres. No entanto, há uma coisa que as incubadoras ainda não substituem: o colo materno. O método canguru é um dos mais bem-sucedidos em UTI neonatal e traz benefícios incríveis.

– Tem pais e mães de gêmeos que colocam dois bebês no peito ao mesmo tempo. Não é só o contato pele a pele, é tudo que está envolvido – explica Denise. – O batimento cardíaco normaliza, estimula o vínculo, o aleitamento é favorecido, o bebê pode ter alta mais cedo… É muito bonito ver esta cena, os gêmeos juntinhos em colo-canguru, mesmo ali cheios de fios e tubos e sensores…

No caso das famílias com gêmeos, é bem comum os dois estarem internados e depois um sair primeiro (ter alta), e o outro ficar. A mãe precisa se dividir entre os cuidados no hospital e em casa – é considerada uma fase realmente bem difícil, tanto em termos práticos como emocionais. 

## Clique e saiba mais sobre o Método Canguru: diretrizes do cuidado

Participe da Abertura Oficial do Novembro Roxo:

Webinar: Juntos Pelos Prematuros, Cuidando do Futuro

A Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros – ONG Prematuridade.com promove hoje, domingo, dia 01/11, o evento de Abertura Oficial do Novembro Roxo 2020! Com apoio de diversas entidades de saúde ligadas ao tema da prematuridade, a ONG Prematuridade.com reúne renomados especialistas para compartilhar atualizações quanto aos tratamentos intra hospitalares e follow up dos prematuros no webinar que tem como título o slogan da campanha oficial do Novembro Roxo deste ano: Juntos Pelos Prematuros, Cuidando do Futuro.

Confira nossos convidados especiais:

● Janini Gianini: nutricionista e Mestre em Nutrição Humana pela Universidade de Brasília e Coordenadora de Saúde da Criança e Aleitamento Materno no Ministério da Saúde.
● Victor Grabois: médico sanitarista, ex-diretor de hospitais, coordenador executivo do Proqualis/Icict/Proqualis, presidente da SOBRASP, mestre em Saúde Coletiva e doutorando em Saúde Pública.
● Guilherme Sant’Anna: neonatologista do Montreal Children’s Hospital da McGill University Health Center, membro do conselho científico da ONG Prematuridade.com e Coordenador do Grupo Facebook Neonatologia Brasil
● Renato Kfouri: pediatra, neonatologista, infectologista, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).
● Gabriel Variane: coordenador da UTI Neonatal Neurológica da Santa Casa de São Paulo, neonatologista do Grupo Santa Joana, fundador do Instituto Protegendo Cérebros Salvando Futuros e membro co-fundador da Newborn Brain Society.
● Cassiane Alves: mãe das pequenas Luísa e Lívia, prematuras de 23 semanas. Lívia Vitória nasceu com 570 gramas lutou muito pela vida, mas 3 dias acabou falecendo. Hoje Luísa Vitória, apesar do atraso motor, é uma menina encantadora, sapeca e muito falante. Hoje Cassiane é voluntária da ONG Prematuridade.com.
● Simone Carazzato: médica e chefe da Clínica de Paralisia Cerebral da Associação de Assistencia à Criança Deficiente (AACD) desde 2010.
● Tatiana Maffini: presidente da ONG amada Helena. Em 2012, Tati perdeu a primeira filha Helena, aos 17 dias de vida, pela falta de acesso a um leito de UTI neonatal e busca transformar o tabu do luto parental no Brasil há mais de 8 anos.
● José Turozi: presidente da Federação Nacional das Apaes.
● Rui Fernando Pilotto: médico, biólogo, mestre e doutor em Genética, professor Associado IV do Departamento de Genética da UFPR, professor da Disciplina de Genética Médica no curso de Medicina da UFPR e responsável pela Coordenadoria Científica da Federação Nacional das Apaes.

A transmissão online e ao vivo será realizada através do canal do Youtube da ONG, no dia 01/11, das 17h às 19h. Esperamos você!

O Brasil é o décimo país no ranking mundial da prematuridade. O dia 17 de novembro é considerado o Dia Mundial de sensibilização ao tema.

## Saiba como adquirir camisetas do Dia da Prematuridade 2020

 

Por que o Novembro é ROXO?

Esta cor foi escolhida para a causa por simbolizar SENSIBILIDADE e INDIVIDUALIDADE, características que são muito peculiares aos  pequeninos que lutam por suas vidas nas UTIs neonatal quando nascem antes do tempo. O roxo também significa transmutação, ou seja, mudança; a arte de transformar algo em outra forma ou substância, transformação.

Leia também

## As 5 perguntas que um obstetra mais ouve das grávidas de gêmeos

## Ter gêmeos é hereditário? 6 perguntas e respostas sobre genética

Camila Saccomori
Camila Saccomori
Jornalista de Porto Alegre e mãe da Pietra, nascida em 2011. Desde a gravidez, passou a produzir conteúdos femininos e voltados a famílias em vídeo, foto e texto. Trabalhou por 20 anos no Grupo RBS e hoje faz conteúdos para a Me Two e projetos de maternidade pelo seu novo "filho", o canal @VamosCriar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *