A inspiração da Me Two hoje é mamãe dos gêmeos Nicholas e Thomas , Thaís Reali, que nos conta que é possível, sim, viajar com gêmeos desde o nascimento. Hoje eles têm 3 anos e muitas viagens na bagagem!

Thaís Reali é co-idealizadora da Me Two. Ela nos trouxe dicas super práticas para as famílias se aventurarem nessas desafiadoras e divertidas viagens.

Conferira seu relato:

” As viagens fazem parte da nossa rotina desde que os meus gêmeos nasceram. 

Moramos no interior, Caxias do Sul – RS, mas nossa origem é Porto Alegre. Quando engravidei dos meninos, sempre pensei em tê-los em Porto Alegre. Então busquei obstetra e pediatra na cidade. A primeira viagem deles foi 15 dias após o nascimento. Estava super receosa, afinal subiríamos a serra. Quem está acostumado a subir e descer uma serra sabe que os ouvidos sentem um pouco. Mas, com um pouco de programação e tempo, tudo dá certo.

Reveillon em Canela – RS: 35 dias de vida.

Depois deste primeiro teste, nos sentimos à vontade para levá-los à Canela- RS passarem o Reveillon. Eles com um pouco mais de um mês de vida. Ocorreu tudo certo.

Nos primeiros 4 meses, uma vez por mês descíamos a serra para visitar a pediatra em Porto Alegre- RS. E, aos poucos, passávamos os finais de semana em Canela – RS. Ou seja, papai e mamãe sempre viajaram nos finais de semana e os meninos já nasceram acostumados a esta mudança de ambientes, o que trouxe uma série de aprendizados.

Até um ano de idade dos meninos viajamos uma dezena de vezes de Caxias do Sul a Porto Alegre (carro: 2 horas), mais algumas vezes de Caxias do Sul para Canela (carro: 1 hora), duas viagens longas de carro para casamentos de amigos: uma de Caxias do Sul para a Praia do Rosa (carro: 5 horas) e outra a Pelotas (5 horas também) e eles tinham apenas 4 meses! E uma viagem de avião para Miami – eles tinham 9 meses – papai foi trabalhar e mamãe, passadeira como é, não quis deixar de ir junto!

Praia de Ibiraquera – SC – 11 meses de vida – casamento dos primos Kamila & Felipe

Aprendizados:

DURANTE A VIAGEM DE CARRO

  1. Escolha sair de viagem na hora que seus gêmeos fazem o soninho. Assim você não os tira da rotina;
  2.  Idealmente, faça viagens curtas, no tempo de duração de uma soneca (1 a 2 horas);
  3.  Tenha em mãos: toalhinha (para caso de vômito), mamadeiras prontas com leite em pó dentro, térmica com água morna, soro para o nariz, papinhas (dependendo da idade). Como normalmente as nossas viagens de carro são curtas, eles não costumavam mamar;
  4.  Esteja preparada para parar! A viagem tem que acontecer no tempo deles. Nem sempre eles dormem ou ficam quietos como gostaríamos. Saia sempre sem pressa para chegar no destino;
  5.  Leve dois ou mais brinquedinhos (conforme a idade) porque se eles acordarem, você vai precisar. Um brinquedo que ajuda muito, mas que não é tão indicado é o tablet ou os DVD´s portáteis para quando são um pouco mais velhos. Nunca gostei de deixá-los em frente as telas antes de 1 ano (até hoje), mas as viagens são exceção;
  6. Escolha um brinquedinho para cada gêmeo que será aquele que vai estar no carrinho, no bebê conforto e na cama para todas as saídas de casa: essa foi uma dica que a minha pediatra deu e que super funcionou porque estes brinquedinhos dão segurança para os bebês. São sua referencia que está tudo certo (algo que não muda, mesmo que mudem de ambiente);

NA MALA DE MÃO:

  • Carteiras de vacinação;
  • Fraldas;
  • Uma troca de roupa fácil para cada um;
  • Toalhinha;
  • Lenços umedecidos;
  •  Mamadeiras;
  •  Leite em pó (para mais de uma mamada, mesmo que a viagem seja curta);
  • Carteiras de identidade – você não pode sair de casa sem elas (e como sempre levo junto a mala de mão, tenho a prática de deixar;
  • Chupetas (o de uso e um extra para cada – chupeta nunca é demais);
  •  Saquinho de lixo;
  • Babeiros de pano e de plástico;
  •  Duas colheres;
  •  Mordedores (conforme a idade);
  • kit farmacinha básico – remédios para febre, enjôo, vômito;
  • Trocador de plástico ou mesmo descartáveis;
  • Dois cobertores para a viagem e depois também serão usados para dormirem;
  • Lencinho de papel;
  • Documentos pessoais e de convênio médico;
  • Uma muda de roupa extra para os adultos;

NA MALA DE VIAGEM:

  • O carrinho e os bêbes conforto não podem faltar. Até por isso que escolhemos o Mc Laren, um carrinho duplo no estilo guarda-chuva, que não ocupa muito espaço no porta-malas;
  • Esterilizador de mamadeira – usava um de plástico mesmo e já colocava mamadeiras e bicos dentro – otimizando o espaço;
  • Lata de leite;
  • Pacote de fraldas extra;
  • Caminhas desmontáveis – se seu carro permite, é uma aquisição muito boa. De qualquer forma, os hotéis disponibilizam;
  • Roupas: leve sempre quatro conjuntos de roupas a mais do que imaginam que será usado;
  • Farmacinha maior do que a da mala de mão, segundo recomendação do pediatra;
  • Escova e pasta de dente para os dois;

VIAGENS LONGAS

  • Sempre tivemos apoio nas viagens longas – seja babá ou mesmo a ajuda de avôs paternos ou maternos.
    Casamento dos amigos Martha e Alexandre em Pelotas – 4 meses de vida – avós Paternos

    Isso foi fundamental, especialmente porque na grande maioria eu estava amamentando ainda e precisava de ajuda.

  • As paradas são super importantes. Elas devem acontecer a cada 2 horas pelo menos.

    Nicholas e Thomas com os avós paternos.

VIAGENS DE AVIÃO

Primeira viagem de avião para Miami – 9 meses de vida com avós paternos.

 

  • Sempre tive dúvidas se poderia levar uma lata de leite aberta, mas nunca recebi a certeza. Então, além de levar as mamadeiras com pó, levava uma lata de leite fechada para não ter problemas;
  • Dar o bico ou a mamadeira na decolagem e no pouso para facilitar a abertura dos ouvidos dos bebes;
  •  As dicas sobre o durante uma viagem de carro também servem para avião, exceto a questão das paradas;

 

 

 

O QUE ESPERAR

Dez dia no lugar novo sempre demoravam para se acostumar: a noite era mais agitada, tinha mais choro. O mesmo acontecia no primeiro dia de retorno a casa. Ou seja, precisamos dar o tempo deles se adaptarem. E também você já deve sair sabendo que esses dois dias você vai se estressar mais do que o normal. Essa dica é preciosa e faz você entender que é normal e respirar fundo porque no final o saldo sempre é mais positivo do que negativo.

 

A minha dica final é que vocês não tenham medo de viajar com seus gêmeos. Temos que nos preparar antes e depois, tanto psicologicamente quanto com toda a parafernália. Mas quanto mais vocês se testarem, mais fácil vai ficando e todo mundo sai ganhando. Não digo que foi fácil, mas se você não se estressar tanto e estiver preparada para comprar o que faltar na cidade destino, tudo fica mais leve. E o papai e a mamãe tem que estar bem alinhados e unidos nas tarefas com os gêmeos. No mais, tudo flui, eles aproveitam e nós também podemos fazer as coisas que gostamos e nos sentimos mais felizes para voltar a rotina super atarefada que temos.

PS: quando fui escolher as fotos para postar sobre esse tema, me dei conta que viajamos bem mais vezes do que eu tinha imaginado com os gêmeos durante o primeiro ano de vida! Foram duas idas a Santa Catarina, três idas a praia, uma a Pelotas – RS , uma aos Estados Unidos e muitas para Porto Alegre e Canela- RS.

 

Bora viajar mamães e papais de gêmeos.
Mande suas fotos e vídeos de viagens com gêmeos e múltiplos para fale@metwo.com.br e conte-nos das suas dicas ou dúvidas. Estamos aqui para fazer da vida e da maternidade de gêmeos e múltiplos uma tarefa mais leve, alegre e simples.

Preparem-se porque também vou escrever sobre viajar sozinha (11 dias fora dos Brasil) e viajar com o maridão (afinal relação agradece). ”

Um beijo carinhoso,

Thaís Reali.

 

Gostou do post? Confira o vídeo da Lú Pacheco, que adora viajar ela, o marido e os gêmeos. Clique aqui.